Posts

A Anmpe, em parceria com a ABMN, agradeçe e parabeniza a Associação Maranhense Master de Natação - AMMN, pela bela iniciativa e compartilhamento de mensagens positivas a todos os nadadores master da região Norte/Nordeste/ Centro Oeste (NNECO).
Parabéns Jerônimo Pinheiro, por essa nobre contribuição!

 

 

 

 

 

       

 

Série: “Curiosidades sobre Natação”

 

Em todos os exercícios aeróbicos, a temperatura do corpo, os níveis de hidratação e o quanto você sua são fatores que sofrem influência da intensidade do exercício e da temperatura ambiente. Mas, na natação, um outro fator impacta os atletas: a temperatura da água.

 

Então, qual a temperatura ideal para nadar?

 

A variação na temperatura pode afetar a duração e a qualidade do seu treino. Por isso, aprender como seu corpo reage às diferentes condições pode te ajudar a identificar situações perigosas.

 

Nadando em água gelada

 

Quando você entra na água gelada, seus vasos sanguíneos se contraem, diminuindo a passagem sanguínea. Isso acontece para que o corpo possa manter sua temperatura. No entanto, o corpo não pode ficar tanto tempo com essa passagem do sangue restrita. Assim, os vasos sanguíneos se abrem novamente.
Assim, aumenta o risco de que sangue mais frio circule pelo organismo, levando a uma hipotermia. Temperaturas abaixo de 15ºC – acredite, para a água é bem gelado! –, quando encaradas sem um traje de neoprene, podem ser perigosas. A gravidade dos sintomas depende da sua tolerância ao frio, de acordo com o National Center for Cold Water Safety dos Estados Unidos (Centro Nacional de Segurança da Água Fria, em tradução livre).

 

Efeito da água quente na natação

 

Nadar em água muito quente – acima de 32ºC – pode levar a um superaquecimento e à exaustão, especialmente quando você está fazendo um treino longo ou nadando uma maratona.

A água quente aumenta a temperatura corporal e a quantidade de suor que o corpo produz, o que acelera a desidratação. A sudorese intensa pode levar a um desequilíbrio de eletrólitos no corpo, o que afeta a mobilidade muscular.

A natação em águas abertas em climas quentes pode te expor a temperaturas muito altas, que podem causar espasmos musculares e fadiga severa.

 

Água fria x Água quente

 

A água quente, a cerca de 32ºC, pode aumentar seu metabolismo e a velocidade ao nadar. No entanto, uma temperatura mais baixa, próxima dos 22ºC, é mais segura para a natação porque o corpo pode se ajustar melhor a temperaturas mais frias. Essa informação foi apresentada em um estudo publicado em 1993 por “The Journal of Sports Medicine and Physical Fitness” (Jornal de Medicina Esportiva e Aptidão Física, em tradução livre).

 

Nadar em água fria também ajuda a aguentar o exercício por um período maior sem risco de esgotamento relacionado ao calor. Entretanto, nadar em água gelada o suficiente para fazer você tremer pode levar à hipotermia.

 

Ao nadar em temperaturas quentes, mantenha o nível de esforço baixo ou nade por curtos períodos para evitar a exaustão.

 

Qual a temperatura ideal da água para nadar?

 

A temperatura ideal da água para nadar depende da sua atividade. Geralmente, quanto mais intenso seu exercício aeróbico, menor a temperatura ambiente que vai te trazer mais benefícios.

A USA Swimming, federação americana de natação, afirma que as temperaturas da água a 27ºC ou menos são ideais para a natação de alta intensidade; a temperatura do ar deve estar entre 24ºC e 26ºC. Para a natação recreativa, a água de 30ºC a 31ºC é ideal; a temperatura do ar deve estar entre 27ºC e 29ºC.

 

Para evitar situações climáticas perigosas, nade quando a piscina for monitorada por um profissional. Além disso, pergunte sobre qual temperatura da piscina seria adequada para a sua atividade.

 

Texto adaptado do site Livestrong, publicado por Raia Oito, em 15 julho, 2019.

 

 

Série: “Curiosidades sobre Natação”

 

O cloro é praticamente o perfume de todo nadador, mas acredite: não por opção. O forte odor da substância universalmente conhecida como o principal desinfetante para água acaba praticamente impregnando na pele daqueles que praticam assiduamente o esporte.

Não adianta se entupir de perfume, comprar o sabonete mais cheiroso do mercado ou tomar dois banhos no dia: aquele cheirinho de cloro sempre vai acompanhar você aonde quer que esteja: na escola ou faculdade, reunião de trabalho, festa de família ou eventos sociais.

Calma, nem tudo está perdido!

O maior vilão das piscinas pode ser facilmente combatido se você seguir esses conselhos.
Vamos a eles:

Hidratação: a inimiga do cloro

Quanto mais você hidratar a sua pele, antes e depois do banho de natação, menos nocivo o cloro vai ser ao seu corpo e mais efetivo vai ser para combater o cheiro forte da substância.

Durante o banho: invista em um sabonete com ativo hidrante e considere usar óleo de amêndoas ou loções hidrantes durante a ducha. Os dois componentes juntos, além de amenizar o dano do cloro para a sua pele, podem ser um ótimo combo para amenizar o cheiro do químico.

Depois do banho: aplique uma loção hidrante e com perfume poderosa no corpo. Não economize, seja generoso na aplicação!

Lembre-se de hidratar em partes em que geralmente esquecemos do corpo, como atrás da nuca e nas extremidades. Geralmente são nestes locais que o cloro fica acumulado e causa mal odor!
A mesma dica vale para durante o banho. Depois desses cuidados, que tal passar aquele perfuminho favorito?

 

Cuidados antes e depois do treino:

Para que a pele não fique extremamente prejudicada pela ação do cloro, antes do treino é recomendado evitar procedimentos que possam comprometer a película protetora do corpo.

Tente não utilizar sabonetes adstringentes ou se enxaguar com água quente. Esse cuidado evita a retirada da película de proteção, que permite amenizar a agressão provocada pelo cloro. Tal ação também evita que a substância penetre a pele, evitando que acumule o cheiro forte característico de cloro.

Já na hora de sair da piscina, tome uma rápida ducha de água corrente para retirar os resíduos do produto do corpo!

 

Texto Original: Raia Oito, publicado em 12 fevereiro, 2020.
Foto de destaque: Ink Drop-9 por Paul Shembri distribuida sob a licença Creative Commons

 
       

 

Série: “Benefícios da Natação”

 

 

A natação tem tantas vantagens que destacar apenas uma é complicado, mas entre os principais beneficiados da prática está a mente. A natação reduz o estresse, o que já foi comprovado por algumas pesquisas.

Segundo o site O Segredo, a natação é um exercício meditativo. Ela melhora a função cerebral através de um processo conhecido como neurogênese, onde seu cérebro substitui células resultantes do stress perdido.

Conhecemos muitas pessoas que nadam por hobby, e elas sempre dizem que a natação deixa a mente delas totalmente renovadas.

A natação pode te ajudar a impedir à entrada de estímulos externos, como sons, a única coisa que você consegue sentir é a água contra sua pele. Se você se concentrar no fundo da piscina você pode se transportar para um espaço ideal, cheio de descobertas.

A prática da natação, além de desestressar, libera endorfinas o que também pode ser convertido em relaxamento muscular, ainda segundo o site, o crescimento de novas células cerebrais é promovido como resultado de liberação de stress.

A natação é também uma ótima forma de exercício de baixo impacto, diferente de outros esportes, a natação oferece um menor impacto na prática do exercício. Ela melhora o equilíbrio, reduz os problemas cardiovasculares e é ótimo para recuperação de lesões.

Enfim, a prática da natação gera uma sensação de prazer e de bem-estar enorme. Essa sensação aumenta a autoestima e eleva a autoconfiança.

Nadar algumas vezes por semana é uma ótima maneira de exercitar e melhorar o seu humor. O que está esperando para começar a nadar?



Texto Publicado: Jornal A Voz da Cidade por
Matheus Gonche

 

 

Série: “Regras da Natação"

 

 

Regras da natação permitem que o atleta fique totalmente submerso nos primeiros 15 metros

Nas provas de natação, é permitido que cada nadador se mantenha submerso nos primeiros 15 metros após a saída e a cada volta.

No período em que estiver debaixo d’água, o nadador pode realizar a técnica de golfinhada, com braços esticados para frente e executam movimentos ondulares com as pernas, com o intuito de quebrar a resistência da água e avançar mais rapidamente.

Para orientar os nadadores, as raias possuem cores diferentes e o fundo da piscina tem uma marca horizontal indicando a distância de 15 metros da borda.


Texto publicado originalmente: Exportelândia Gustavo Andrade.

 
       

 

Série: “Regras da Natação”

 

 

As dimensões de uma piscina olímpica são de 50 x 25 metros, com 3 metros de profundidade. As provas podem ser praticadas tanto em espaços abertos quanto fechados.

Há competições internacionais que usam também as piscinas curtas, que possuem 25 metros de comprimento por 20 metros de largura.

As piscinas são divididas em raias, demarcados por uma faixa no fundo e/ou por material flutuante.

Em piscinas olímpicas, cada raia possui 2,5 metros de largura. Já nas curtas, essa medida é de 2 metros.
Cada piscina olímpica possui oito raias para competição, além de uma raia livre adicional de cada lado. Essas raias livres podem ser usadas caso haja empate no tempo de classificação do 8º lugar.


Texto publicado originalmente: Exportelândia Gustavo Andrade.

 

 

Série: “Regras da Natação”

 

 

As principais competições de natação são disputadas em piscinas longas, de 50 metros, ou piscinas curtas, de 25 metros. Para as duas situações, as distâncias das provas de natação são divididas por estilos de nado da seguinte forma:

Livre: 50m, 100m, 200m, 400m, 800m e 1500m;
Costas: 50m (não olímpico), 100m e 200m;
Peito: 50m (não olímpico), 100m e 200m;
Borboleta: 50m (não olímpico), 100m e 200m;
Medley: 200m (50m cada estilo) e 400m (100m cada estilo);
Revezamento: 4x100m livre (100m cada integrante da equipe), 4x200m livre (200m cada) e 4x100m medley (100m cada integrante, um estilo por nadador).
Nas demais competições, temos ainda 4x50m livre e medley.


Texto publicado originalmente: Exportelândia Gustavo Andrade.

 
       
   
       
       

 

Posts de maio

 

Posts de junho

Posts de julho

2020 © ANMPE - Associação dos Nadadores Masters de Pernambuco - Todos os direitos reservados.