Estilos

Os quatro estilos da Natação.
Borboleta
Em 1952 foi denominado provas isoladas para cada estilo, sendo assim, o nado borboleta é o segundo estilo mais rápido e hoje encontramos nadadores mais rápidos que antes. Os movimentos do nado são simultâneos denominados duas pernandas para cada ciclo de braçada. Quando se quer nadar dentro de uma certa eficiência rápida, o nadador passa a dar uma pernada longa e suave para uma curta e rápida.

Costas
Inicialmente a pernada do nado costas era denominado tesoura, mas o norte americano Harry Habner venceu os 100 metros costas nos jogos olímpicos com quadris parados e fazendo trabalho de perna de crawl inversa.
A natação neste estilo exige que o nadador consiga manter o corpo à superfície. Este aspecto básico pode ser bastante complicado para os iniciados, que tendem a submergir o corpo ao nível da cintura.
Em Costas o batimento das pernas é grande responsável pela velocidade do deslocamento, existindo variantes no estilo, caso dos braços em Costas e das pernas em Bruços.

Para bem nadar Costas é imprescindível uma correcta rotação de ombros, que acompanha as braçadas, sejam elas alternadas - um braço entra na água de cada vez - ou simultâneas - os dois braços mergulham ao mesmo tempo.
Quanto à braçada em Costas: o braço deve realizar um movimento rotativo sem nunca se desviar do corpo, ou seja, passando encostado ao tronco quer durante a entrada quer durante a saída da água.

Peito
Nado que deverá ser nadado de forma rítmica e fluente, levando os movimentos do braços para frente e para trás sob a água, se possível o mais paralelo a superfície da água, os pés são trazidos com os joelhos dobrados e abertos, fazendo uma extensão na lateralidade giratória da pernada. É muito importante que a cabeça lidere o movimento ondular do corpo.

Em peito a respiração é frontal, em regra a acompanhar o momento em que os braços puxam a água para o corpo. Nesta braçada - considerada das mais complexas - os cotovelos flectem sob a água e aproximam-se ao nível do peito, mas não devem ultrapassar a linha dos ombros.
As pernas em peito implicam o flectir dos joelhos debaixo de água e depois o retorno à situação de 'esticadas'. A posição das pernas durante os movimentos lembram as de uma rã quando se prepara para saltar.

Considerado um estilo gracioso e descontraído, consta que o peito foi o primeiro aprendido pelas mulheres quando - após anos a frequentar a praia sem entrar na água - se iniciaram no meio aquático e na prática da natação em plena Natureza.
Talvez por isso, peito ainda seja considerado um estilo predominantemente feminino, em especial se comparado com Crawl, vulgarmente designado por 'nadar à homem'.

Crawl
Para muitos nadadores, este é o mais simples dos estilos e aquele que permite atingir melhores velocidades em competição. Por esta razão, são diversos os atletas que por ele optam quando podem escolher um estilo livre.

Em Crol a respiração é lateral, embora para a ensinar os professores recorram em regra à respiração frontal. Esta técnica, empregue para facilitar a concentração dos 'aprendizes de Crol' nos restantes movimentos do corpo, leva alguns nadadores a incorrer em erros na colocação da cabeça.

Os ponto mais importantes no nado livre são: posição do corpo na água, a aplicação dos membros inferiores e superiores e a velocidade da braçada. O nadador se movimenta com o abdômen em grande intensidade, trabalhando assim os membros inferiores. O importante é manter uma boa qualidade de treinamento, dependendo de uma boa habilidade técnica e força do atleta.
2016 © ANMPE - Associação dos Nadadores Masters de Pernambuco - Todos os direitos reservados.